28/29 de Fevereiro Dia Estadual/Internacional de Combate às LER/DORT


    As LER/DORT (Lesões por Esforços Repetitivos/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho) são um dos reflexos das mudanças ocorridas nas condições e ambientes de trabalho, com a introdução de processos automatizados, aumento do ritmo de trabalho e de novas formas de gestão com ênfase na produtividade.

    Outros aspectos da organização do trabalho contribuem para o aparecimento das LER/DORT, dos quais podemos destacar: jornadas prolongadas, com frequente realização de horas extras; gestos repetitivos; posturas inadequadas para o desempenho das tarefas; trabalho monótono e fragmentado; trabalho automatizado; trabalho sob pressão permanente de chefias; ausência de pausas e micro-pausas durante a jornada de trabalho.

Orientações para Atividades da Vida Diária de portadores de LER/DORT:

1. Simplifique o trabalho, conserve energia, reveja as tarefas e elimine os  passos  que  forem  possíveis. Determine o que é necessário e por que é necessário, bem como o que acontece se você não fizer isto.  Veja algumas sugestões:

  • tecidos  de  tergal  eliminam  a necessidade de passar a ferro;
  • alimentos ensopados eliminam a necessidade de picá-los;
  • deixar a louça escorrer elimina a necessidade de secá-las;
  • o passo de guardar a louça no armário  pode  ser  eliminado se usá-las diretamente do escorredor ou da pia;
  • uso  de  toalhas  de  plástico  na mesa  elimina  a  necessidade  de lavagem da mesma;
  • usar a mesma panela tanto para preparar como para servir os alimentos  diminui  a  quantidade  de louças a lavar;


2. Planejar  com  antecedência  as atividades da semana, de modo que as  tarefas  sejam  distribuídas  por todos os dias e não concentradas em alguns  apenas. Este  planejamento deve  incluir o  repouso entre as  tarefas. Deve  alternar  trabalho  ativo e trabalho parado.

3. Usar  equipamentos  corretos: adaptação de  cabos  (por  exemplo, engrossando o cabo das  facas,  tesouras, cabos de panelas, cabos de escova de dente e cabelo, etc.), para diminuir a necessidade de força de pressão.

4. Usar métodos eficientes:

  • sempre que possível usar os dois braços em movimentos simétricos e paralelos;
  • usar a força disponível das articulações próximas (mais próximas ao  tronco) ao  invés das articulações e músculos menores e mais distantes;
  • deslizar  objetos  ao  invés  de levantá-los;
  • arrumar móveis e eletrodomésticos  de modo  a  haver  espaços contínuos,  especialmente  entre pia, fogão e geladeira. Se possível, adaptá-los em balcões;
  • usar carrinho com rodas e cestos para transportar coisas;
  • evitar segurar objetos por muito tempo,  usando  suporte  ou  base, se possível;
  • usar estabilizante como tapetes antiderrapantes e toalhas úmidas sobre a pia.


5. Descanso:

  • os períodos  regulares de descanso devem ser incorporados ao plano de trabalho diário;
  • as mães de crianças pequenas são  aconselhadas  a  descansar quando a criança dorme, mesmo que  estejam  usando  este  tempo para  terminar  uma  tarefa  interrompida;


6. Compensação para variação de movimento limitado: se  suas  condições  financeiras permitem,  diminua  esforços  utilizando  eletrodomésticos  como máquina de  lavar  roupa,  liquidificador, etc.

7. Compensação para as fraquezas dos membros afetados:

  • comprar  alimentos  já  picados ou moídos;
  • utilizar utensílios leves, facas e tesouras  afiadas,  que  não  precisam de muito esforço para serem usados;
  • lavar louça dentro da pia cheia de água, de preferência morna;
  • adaptar cabos engrossados dos dois lados das panelas;
  • enrolar os cobertores ao  invés de dobrá-los;
  • rosquear tampa usando as duas mãos sobre suporte antiaderente;
  • puxar  gavetas  com  as  duas mãos. Empurrá-las com o corpo.

fonte: Sindicato químicos Unificados - Coleção Doenças e Acidentes de Trabalho, Tema 1 - LER/DORT, 2008

« Voltar